Grãos Integrais

Grãos integrais: benefícios e como identificá-los nos produtos

Os grãos integrais vêm ganhando espaço nas refeições dos brasileiros, que estão cada vez mais conscientes sobre manter bons hábitos alimentares. 

Esse tipo de alimento, na sua forma mais natural, está sempre na lista das dietas saudáveis por possuir boas características nutricionais. Além disso, são fáceis de inserir em receitas tradicionais. 

Atualmente, não é difícil encontrar dezenas de produtos que têm como base os grãos integrais. Contudo, é preciso ficar atento aos ingredientes para não ser enganado somente pela descrição da embalagem. 

Entenda a diferença entre grãos integrais e refinados, como identificá-los e como inseri-los na sua alimentação.

Grãos integrais x refinados: qual é a verdadeira diferença?

Os alimentos refinados, aqueles mais comuns nas prateleiras dos supermercados, passam por um processo químico.

Deles, são retirados o gérmen e a casca, onde se encontram a maioria dos componentes saudáveis, ficando somente a parte rica em carboidratos. 

Muito se discute sobre os valores calóricos de ambos os grãos, que não apresentam diferenças extremamente significativas.

Então por que o integral é vendido como vantajoso?

Os grãos integrais têm vantagem sobre os refinados porque neles se mantém as fibras e dos nutrientes. 

Sendo assim, além dos benefícios nutricionais, eles promovem mais saciedade, o que faz com que a pessoa diminua a quantidade ingerida. Consequentemente, estará reduzindo também o consumo calórico.

Como identificar corretamente os alimentos integrais?

Você já deve ter percebido que os alimentos integrais, normalmente, possuem uma coloração mais escura. Isso fica visível em massas, por exemplo.

Nas prateleiras dos mercados, você poderá encontrar algumas descrições nas embalagens, como: “alto teor em fibras”, “multigrãos”, “farinha de trigo enriquecida”, entre outras que, não necessariamente, garante que o alimento seja integral. 

A parte que você realmente deve se atentar, é na lista de ingredientes. Nela, deve conter, explicitamente, a palavra “integral”. 

Aqui fica outra dica: Essas listas seguem uma ordem decrescente. Então, não só indicam quais ingredientes estão presentes no alimento, mas também quais estão em maior quantidade. Sendo assim, quanto mais à frente aparecer a palavra “integral” melhor.

Como inserir alimentos integrais na alimentação?

O primeiro passo é consultar um profissional de nutrição para avaliar as suas necessidades nutricionais e apontar os melhores alimentos para o seu organismo.

Caso os grãos integrais sejam indicados, inseri-los na sua dieta pode ser muito fácil. Arroz, pães e diversas outras massas que já fazem parte do cotidiano, possuem suas versões integrais. 

Comece colocando esses alimentos nas refeições secundárias do dia, como o lanche da tarde e depois, leve para as principais.

Os grãos integrais também podem acompanhar saladas e iogurtes, que geralmente são opções de uma alimentação saudável.

Se o sabor um pouco diferente for estranho para você, experimente começar essa transição fazendo misturas. Junte os produtos refinados aos chamados de “brancos”.

Essa é uma boa oportunidade para conhecer novos modos de preparo e temperos naturais. 

Existe uma enorme variedade de grãos para você conhecer e experimentar outros sabores. A maioria das receitas pouco mudam o modo de preparo, apenas os ingredientes que se tornam mais saudáveis. Dê essa chance para sua saúde! 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *